Página Inicial Notícias Geral Auto-escolas enfrentam problema com sistema biométrico do DETRAN-SP
Auto-escolas enfrentam problema com sistema biométrico do DETRAN-SP PDF Imprimir
Escrito por José Alberto Canedo   

Autoescolas da Cidade de Mogi denunciam falhas no sistema e-CNHsp, desenvolvido pela Companhia de Processamento de Dados do Estado de São Paulo (Prodesp) para o Departamento Estadual de Trânsito (Detran) de São Paulo. Segundo as delações, os problemas são interrupções no sistema e leitura errada de impressões digitais, o que está prejudicando os alunos interessados em obter a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) ou renová-la.

"Todos os dias, pelo menos três vezes, o sistema cai. Teve um dia em que caiu às 13 horas e não voltou mais. Antes e depois que terminam as aulas, os alunos colocam o dedo para leitura das digitais na máquina. Muitos deles vêm de longe. Na hora em que eles saem, por exemplo, depois de já terem feito a aula, às vezes o sistema cai. Aí, é preciso que voltem no dia seguinte para registrar a aula, o que, além do transtorno, gera um gasto a mais com passagens", diz Samira Galdino, secretária na Autoescola União.

Ela conta que houve um aluno que precisou receber o instrutor da autoescola no trabalho para não perder as aulas que já tinha assistido. "Ele estava de férias no serviço e aproveitou para fazer as aulas obrigatórias noturnas, mas não conseguiu registrá-las e as férias dele terminaram. Como voltou a trabalhar à noite, nosso instrutor teve de ir até o local de trabalho do aluno com um notebook para que o sistema pudesse ser aberto", diz.

Na Autoescola São Judas, os problemas também foram confirmados por um auxiliar administrativo que não se identificou. "O sistema, agora, deu uma melhorada, mas ainda está longe da perfeição. No começo, ele caia e não voltava. Hoje mesmo [ontem] fui tentar registrar umas aulas e o sistema não aceitava. Insisti e só depois consegui. Temos também problemas com biometria divergente. O aluno põe as digitais e elas não são lidas corretamente", diz.

Por meio da Assessoria de Imprensa, a Companhia admitiu que o sistema "apresentou recentemente intermitência na parte de coleta biométrica, isto é, em alguns momentos, foi registrada instabilidade na captura das impressões digitais".

Ainda segundo a Prodesp, os problemas teriam sido resolvidos no último dia 9. "Com a implantação de uma nova versão do motor biométrico pela Prodesp, em 9 de junho, o e-CNH foi estabilizado. Mas eventualmente ainda podem ocorrer problemas pontuais, que são tratados caso a caso pela Prodesp. É importante ressaltar que mesmo por ocasião do citado problema técnico, o sistema e-CNHsp não ficou inoperante. Isso pode ser comprovado pelas estatísticas de sua utilização", afirma a estatal em e-mail enviado à reportagem.

De acordo com a Companhia, de 25 de maio a 6 de junho deste ano, 912 cidadãos de Mogi fizeram o pré-cadastro na Internet e 792 compareceram à Circunscrição Regional de Trânsito (Ciretran) para confirmação do cadastro e apresentação de documentos. Ao mesmo tempo, os Centro de Formação de Condutores (CFCs) registraram no sistema 1.751 aulas teóricas e 120 práticas.

De 7 a 21 deste mês, já com a correção efetuada no motor biométrico no dia 9, 1.388 cidadãos de Mogi fizeram o pré-cadastro na Internet; 1.090 compareceram à Ciretran para confirmação do registro e 3.030 aulas teóricas e 262 práticas foram computadas pelo sistema.

Considerando-se as 33 cidades da Grande São Paulo onde o e-CNHsp já é utilizado, os CFCs registraram no sistema, de 25 de maio a 6 de junho, 45.884 aulas teóricas e 6.157 práticas. No período de 7 a 21 de junho, após o conserto, estes números saltaram para 75.967 aulas teóricas e 11.144 práticas, respectivamente.

Fonte: O Diário de Mogi

 

Copyright © 2010-2011 Fórum Biometria.  Todos os direitos reservados.